spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Trabalhadores insistem, são recebidos pela secretária de educação, mas o ‘abono’ ainda é incerto

Após protestarem na frente da prefeitura e a manutenção da postura do prefeito Pábio Mossoró (MDB) em não dialogar com a categoria, os servidores da educação pública de Valparaíso foram até a secretaria municipal, insistiram para entrar no prédio e acabaram sendo recebidos pela titular da pasta, Rudilene Nobre.

Após insistência dos servidores, secretária de educação de Valparaíso, Prof Rudilene Nobre recebe a categoria para debater o Rateio do Fundeb
Foto: Reprodução

Os profissionais da educação pública valparaisense reivindicam o pagamento do “Abono do Fundeb“, que rateia entre os servidores os restos, valores não aplicados, dos 70% do Fundo, destinados obrigatoriamente para pagamento das folhas salariais.

Esse percentual era de 60% até o ano anterior, portanto o valor vinculado por Lei ao pagamento dos salários da categoria teve um acréscimo de R$ 20.717.600,36, no ano em que não houveram aulas presenciais até outubro, nem aumento do efetivo.

Quando chegaram na Secretaria de Educação, os servidores encontraram as portas fechadas e tiveram a informação que a secretária Rudilene não se encontrava, mas na insistência entraram e acabaram descobrindo que a gestora estava sim no local e foram atendidos, mas não antes serem “acompanhados” por agendes da guarda municipal e um certo tumulto:

Na reunião, os representantes dos servidores chegaram a reivindicar a prestação de contas da aplicação do Fundeb, que a secretária teria dito ser necessário aguardar o fechamento do ano, quando já não seria mais impossível decidir sobre o abono. Segundo o membro do sindicato, Jean Mourão, nada impede a disponibilização dos relatórios dos três primeiros trimestres do ano.

O resultado da reunião, de acordo com os trabalhadores, teria sido o compromisso da secretaria Rudilene Nobre em articulara com prefeito Pábio o Projeto de Lei Ordinária (PLO) instituindo o rateio, a ser votado numa sessão extraordinária da Câmara Municipal marcada para o dia 24 próximo.

"O primeiro pedido à secretária foi que o município e a secretaria de educação, faça transparência dos recursos, preste contas com transparência dos recursos públicos vindos do Fundeb e de todas as fontes que alimentam a educação pública de Valparaíso. Estamos aqui pressionando para que o governo mostre o relatório de pagamentos do Fundeb, infelizmente a gente tem encontrado dificuldade por parte do governo em enviar os relatórios", disse o professor Jean Mourão, que completou;

"E o segundo ponto (de reivindicação) foi para que o governo envie o quanto antes, em regime de urgência urgentíssima, um projeto que regulamente o rateio das sobras do Fundeb para os profissionais, para todos os profissionais da educação de Valparaíso de Goiás. Avançamos um passo apenas, que foi a promessa de secretária em enviar essa sugestão para o prefeito e para que o prefeito envie esse projeto para a câmara dos vereadores".

O Jornal Opinião do Entorno entrou em contato com o presidente da Câmara Municipal de Valparaíso, vereador Plácido Cunha (Avante), que informou não haver a previsão de sessões extraordinárias ainda em 2021.

.ultimas

Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img
  1. Vamos continuar lutando por nossos direitos…todos juntos faz a diferença, não vamos retroceder..sou professora da cidade ocidental e o nosso Rateio será dia 10/01/2022 palavras do secretário de Educação.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

.Siga-nos

16,985FãsCurtir
15,748SeguidoresSeguir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever
Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

.destaques