spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Véspera de natal em Valparaíso é marcada por protestos contra o prefeito Pábio e violência contra professores

A menos de 48 horas da celebração do Natal Cristão, o município de Valparaíso de Goiás foi palco de protestos contra o prefeito Pábio Mossoró (MDB) e uma reação com violência contra os professores públicos municipais.

Os professores estão reivindicando da prefeitura o pagamento do abono salarial referente as sobras do Fundeb (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica), vinculados à folha salarial, recurso que aumentou de 60 para 70% este ano.

Já no início do dia, os profissionais da educação foram até a Rádio Metropolitano para aguardar a saída do prefeito, que concedia uma entrevista no local. Por voltas das 10h20 Mossoró apareceu e não deu atenção aos manifestantes que até foram destacadamente educados na abordagem.

Enquanto os professores pediam uma conversa "republicana" e "cordial", Mossoró se limitou emitir um seco "não vou conversar. Não vou conversar com vocês".

O prefeito entrou no seu carro rapidamente, bateu a porta, e partiu em retirada, estranhamente escoltado por um carro do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), custeado com recurso federal para atendar aos usuários do programa social Bolsa Família, hoje Auxílio Brasil.

Na sequência Mossoró foi à TV Web Entorno sul para outra entrevista com o jornalista Dimas Ferreira e no decorrer da transmissão, eis que surge ao fundo o áudio de um carro de som com professores reivindicando o Abono do Fundeb.

Nitidamente desconcertado, Pábio Mossoró travou, não conseguiu dar sequência ao pensamento, o entrevistador até tentou continuar, "vamos continuar, vamos continuar", mas o prefeito não conseguiu reagir. Foi quando o jornalista disse que iria resolver e pediu que o seu operador chamasse os comerciais.

Fora dos estúdios a TV Web, bate boca, os manifestantes insistiam pelo diálogo com o prefeito e o jornalista mandando-os se retirar do local, em determinado momento até tentou arrancar o microfone da mão do professor.

Professores acusaram o veículo de comunicação de estar “passando pano” nos erros do governo. A conversa se alongou até que o jornalista pegou uma pedra e jogou no vidro lateral do carro de som. Não satisfeito, veio outra pedrada no parabrisa do veículo.

O tumulto acabou virando caso de polícia que esteve no local e registrou a ocorrência.

Durante todo o imbróglio Pábio Mossoró se manteve escondido dentro do estúdio da TV Web, de onde só saiu quando os policiais estavam registrando a ocorrência e, aí sim, teve coragem até de “dar tchauzinho” aos professores.

Consultado, o Jornalista Dimas Ferreira informou à redação que estava pedindo a redução do volume do carro de som para continuar seu trabalho e que não cabia ser obrigado a adicionar outra pessoa em seu programa, como teriam tentado membros do sindicato.

Já os professores afirmaram que estão fazendo manifestações pacíficas e ordeiras, buscando o diálogo, negado pelo prefeito, em busca de um direito da categoria e que nada justifica ‘atos de violência dos governistas’.

.ultimas

Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

.Siga-nos

16,985FãsCurtir
15,748SeguidoresSeguir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever
Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

.destaques