spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Maioria não quer prescrição médica para vacinação infantil contra a Covid-19

A consulta pública feita pelo Ministério da Saúde apontou que a maioria das quase 100 mil pessoas que responderam o documento é contrário ao pedido de prescrição médica para a vacinação contra a Covid-19 de crianças de 5 a 11 anos.

Crianças a partir de dois anos já estão sendo vacinadas no Chile com a CoronaVac
Foto: Reprodução (Reuters)

O resultado contraria os discursos do presidente Jair Bolsonaro (PL), do ministro da saúde, Marcelo Queiroga, e as diretrizes já preparadas pela pasta, que previa a exigência da prescrição médica para a imunização do público pediátrico, conforme a secretaria de Enfrentamento à Covid, Rosana Melo.

“A maioria se mostrou concordante com a não obrigatoriedade da vacinação e a priorização das crianças com comorbidade; a maioria foi contrária à obrigatoriedade da prescrição médica no ato da vacinação”, informou Melo na abertura da audiência pública sobre a vacinação infantil realizada nesta terça-feira (04).

O uso da vacina Pfizer, em dose específica para a faixa de 5 a 11 anos, foi autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em 16 de dezembro. No entanto, a resistência do presidente Jair Bolsonaro à vacinação fez com que o ministério criasse obstáculos para a implementação imediata, incluindo uma consulta pública sem critérios científicos e de segurança dos dados, e a audiência pública.

Já pela manhã, Queiroga se antecipou e, durante entrevista, anunciou que as vacinas infantis estarão disponíveis no país na segunda quinzena deste mês.

.ultimas

Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

.Siga-nos

16,985FãsCurtir
15,748SeguidoresSeguir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever
Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

.destaques