spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Fux questiona Bolsonaro sobre ameaça de “medidas duras”

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Luiz Fux, questionou o presidente Jair Bolsonaro, em conversa por telefone nesta sexta-feira (19), se o chefe do Executivo Federal iria decretar estado de sítio no país, citado pelo mandatário como medida possível para impedir governadores de restringir a circulação de pessoas como forma de combate ao novo coronavírus.

Luiz Fux questiona Bolsonaro intenção de decretar Estado de Sítio / Foto: Money times

Estado de sítio é um instrumento burocrático e político em que o presidente da República suspende temporariamente a atuação dos Poderes Legislativo (deputados e senadores) e Judiciário. Teoricamente é recurso emergencial para agilizar as ações governamentais em períodos de calamidades de extrema gravidade.

Durante o telefonema, Fux perguntou a Bolsonaro se deveria retornar a Brasília mediante os rumores. O presidente do STF está no Rio de Janeiro e na conversa, segundo fonte, o presidente negou negou essa pretensão e que não estava pensando em fazer nada.

Em conversa com apoiadores na saída do Alvorada, o presidente criticou novamente governadores e prefeitos que adotarem medidas restritivas que, no entender dele, estariam usurpando a Constituição ao “retirar o direito de ir e vir das pessoas“, medida que só poderia ser implementada pela decretação de estado de sítio ou de defesa. Nesses casos, disse Bolsonaro, o Congresso Nacional tinha de ser ouvido.

Na ocasião o presidente disse que o governo federal poderá tomar “medidas duras” se a ação que apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra as políticas de restrição não prosperar:

Onde é que nós vamos parar? Será que o governo federal vai ter que tomar uma decisão antes que isso aconteça? Será que a população está preparada para uma ação do governo federal dura no tocante a isso? Que é dura? É para dar liberdade para o povo. É para dar o direito do povo trabalhar“, disse Bolsonaro, sem esclarecer o que chama de “medida dura” e o que poderia fazer.

À Fux, Bolsonaro aproveitou para dizer que espera apenas o julgamento da ação movida pelo governo que tenta suspender os efeitos dos decretos da Bahia, do Distrito Federal e do Rio Grande do Sul que estabelecem medidas restritivas no combate à pandemia da Covid-19, como o fechamento de atividades não-essenciais e o toque de recolher noturno.

No dia anterior Bolsonaro havia comparado as medidas de isolamento adotadas em alguns Estados a um estado de sítio e disparou:

Isso é estado de defesa, estado de sítio que só uma pessoa pode decretar: eu.”

.ultimas

Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

.Siga-nos

16,985FãsCurtir
15,748SeguidoresSeguir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever
Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

.destaques