spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

Corrupção e impunidade em Valparaíso: Apuração sobre vereador flagrado cobrando propina vence sem apresentação de relatório

Flagrado em vídeo, supostamente cobrando propina a um empresário para fraudar dívidas tributárias municipais, o servidor público e vereador de Valparaíso de Goiás, Paulo Brito (PSC), estaria passando ileso, sem sofrer nenhuma sanção administrativa, referente ao seu cargo público, e política partidária.

Vereador Paulo Brito em vídeo no qual supostamente cobra propina de empresário para dar baixa em uma dívida tributária em Valparaíso de Goiás.
Foto: Reprodução

No último sábado (26), por exemplo, venceu o prazo do Processo Administrativo (PAD) instaurado pela portaria 005/2022 da Secretaria Municipal de Administração, para apurar as “possíveis irregularidades” cometidas por Paulo Brito no exercício do seu cargo público, sem a apresentação de nenhum relatório por parte da comissão composta por servidores.

Governista, Paulo Brito estaria contando com a blindagem do grupo político do prefeito Pábio Mossoró (MDB), a exemplo da secretária de administração, Bonivone Gomes (PSC), e do presidente da Câmara Municipal, Plácido Cunha (Avante), onde procedimentos punitivos poderiam estar em andamento e não estariam.

“O grupo do prefeito (Pábio Mossoró) está de um lado, dando tempo ao tempo, esperando que a população se esqueça do caso e dos vídeos, e por outro lado eles estão pressionando a gente que pode ajudar nas investigações”, disse uma servidora da Superintendência de Receita Tributária que pede anonimato.

Consultada, a Câmara Municipal de Valparaíso se colocou como coadjuvante do poder judiciário e informou ao jornal que aguarda ter acesso ao processo que corre em segredo de justiça, para, só a partir daí, startar os procedimentos legislativos. Já a prefeitura não retornou a contato da redação.

A denúncia:

Em 13 de janeiro o Jornal Opinião do Entorno trouxe a público vídeos em que o vereador Paulo Brito, então servidor da Superintendência de Receita Tributária, supostamente cobrando R$ 30 mil para fazer desaparecer R$ 180 mil em dívidas tributárias do empresário Fernando Viana, dono da Funerária Boa Esperança. Numa das gravações, o parlamentar dá a entender que o prefeito da cidade teve a intenção de demitir a titular do órgão de arrecadação para que ela não atrapalhasse o esquema.

Após a divulgação dos vídeos que flagraram o parlamentar, o empresário Fernando Viana concedeu uma entrevista coletiva onde afirmou que o prefeito Pábio Mossoró sabia, no mínimo, desde o início de 2019 sobre o suposto esquema de corrupção, mas que teria se esquivado, evitado o assunto e sem fazer nada a respeito.

.ultimas

Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

.Siga-nos

16,985FãsCurtir
15,748SeguidoresSeguir
2,458SeguidoresSeguir
61,453InscritosInscrever
Publicidadespot_imgspot_imgspot_imgspot_img

.destaques